MENU

Anterior

Gato tem um cão como melhor amigo

Próxima

Próxima

Lista de presentes de natal para cães

Próxima

19/12/2013 Comentários (0) Visualizações: 6918 Cachorros, Curiosidades, Raças, Raças De Cachorros, Vale A Pena Ver

Como os lobos se tornaram cães de raça

lobo-e-cachorro.jpg

A criação de raças específicas de cachorros nem sempre foi proposital.  Porém, criar cachorro focando em características específicas é uma prática que acontece há milhares de anos. Aliás, das 400 raças hoje existentes, a maioria foi criada com a intenção de que ela fosse útil para ajudar nas atividades do dia a dia das pessoas, como, por exemplo, caçar, proteger o pastorear.

De onde vieram os primeiros cães de raça?

A raça mais antiga da história é oriunda do Egito e tem características semelhantes às características de um galgo.  Os Romanos, porém, foram os primeiros a criar raças em maior escala e manter arquivos com informações sobre elas (Clutton-Brock, 1984).  Neste tempo, todos os cachorros, incluindo os cães de colo, eram reproduzidos por sua função e não pela sua aparência.  A prática de focar em aparência e temperamento surgiu somente depois.

Isso ocorreu depois de 1820, data em que os cachorros começaram a se tornar um símbolo de status e a demanda por criar raças baseado exclusivamente em sua aparência aumentou.  De acordo com o especialista, Ritvo, não é a toa que a maioria das raças de hoje não tem mais de 100 a 150 anos, apesar de algumas delas já terem existido antes como cães de trabalho.

Apesar da demanda por cães de raças aumentar no mundo ocidental após 1820, há registros que mostram que em outras partes do mundo, cães já estavam sendo criados de forma seletiva.  Relatos de DNA apontam que o Pequinês é uma das raças mais antigas do mundo, criado na China há aproximadamente 2.000 anos.

Como as raças de cachorros estão sendo criadas hoje

Recentemente, com a explosão da demanda mundial por cães de companhia, aumentou-se a pressão para que os cães fossem reproduzidos da forma mais barata e rápida possível.  Por conta dessa demanda, locais de reprodução em massa, conhecidos como fábricas de cachorros, surgiram ao redor do mundo. Em tais fábricas, o processo de reprodução dos cães é realizado de maneira desenfreada, muita vezes entre irmãos e primos, sem nenhuma preocupação de seleção genética para manutenção das características do animal.

Ao contrário, essas práticas têm criado um grande número de doenças genéticas entre os cães de raças e, salvo com bons criadores, é cada vez mais comum ter um cão de raça com um problema de saúde congênito.  Além disso, doenças que não existiam em lobos começaram a ser vistas em cães e, em vários casos, se propagar como tendências em algumas raças. A herança genética está presente inclusive em aspectos comportamentais dos cães. Em vários casos, a criação dos animais privilegiou características desejadas para ele conviver bem com as pessoas.  Ao longo desse processo, algumas características originalmente do lobo foram diminuídas no cachorro, tal como o nível de timidez com os humanos, enquanto outras foram destacadas, como o latido e o carinho com os homens.

Foto: Tanja Askani (Vídeo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *