MENU

Anterior

Dicas para agradar o seu cachorro no inverno

Próxima

Próxima

Por que teu cachorro não te reconhece no skype?

Próxima

02/06/2015 Comentários (0) Visualizações: 6342 Cachorros, Curiosidades

Quem sofre mais durante uma crise econômica… você ou o seu pet?

Ligue a televisão e logo verá uma notícia que explica como a economia atual afeta a família brasileira. Estamos comendo menos em restaurantes e poupando um pouco mais para lidar com a recessão atual. Mas, e os nossos animais? Como que eles são afetados?

Border Collie segura porquinho

Nós mudamos nossos hábitos alimentares mas recusamos dar uma alimentação ruim para os nossos pets

Durante a crise econômica de 2008, uma análise conduzida pela Pet Food Industry, nos Estados Unidos, buscou mensurar como a queda na renda das famílias afetou a compra de ração de seus pets.

O resultado da pesquisa foi muito diferente do que o esperado. A alimentação saudável de seus pets foi uma das últimas coisas que as pessoas estavam dispostas a sacrificar durante a crise. De modo geral, a venda de ração no país cresceu e as únicas marcas que sofreram foram as marcas de ração de baixa e média qualidade. Embora o número de abandono de animais aumentou nesse período, as pessoas que continuaram com os seus animais tentaram proporcionar uma boa qualidade de vida para os seus pets.

Notícias recentes no Brasil revelam que já estamos mudando o nosso comportamento alimentar por conta do estado da economia atual no país. Isso dito, comemos cada vez menos em restaurantes e mais em casa, fazendo economias na nossa alimentação e até no que compramos no supermercado.

Nós decidimos ter menos filhos, tanto os peludos quanto os humanos

Pesquisas feitas nos Estados Unidos durante a última crise econômica revelam que, com menos dinheiro, as famílias decidem ter menos pets.

No país, a quantidade de pets caiu em 2%, de 58% a 56%, entre 2006 e 2012. De acordo com a pesquisa, feita pela Associação Americana de Medicina Veterinária (AVMA, em Inglês), a população de pets caiu muito e, em 2012, o país contava com 3% menos cães, 9% menos gatos, 26% pássaros e 33% menos cavalos, com relação a 2006.

Outras fontes mostram que não é somente a quantidade de animais que diminuem. Durante uma crise econômica, as pessoas postergam ter filhos também.

Abandonamos nossos melhores amigos, centenas de milhares de vezes

Um artigo postado pelo The Guardian mostrou o que aconteceu na Inglaterra durante a crise econômica de 2008. Nesse artigo, o jornal entrevistou várias ONGs e revelou que a quantidade de animais abandonados aumentou tanto durante a crise que várias ONGs não conseguiam aceitar mais os pets. Desesperados, alguns donos até jogaram os animais pela cerca dos abrigos.

Um dos maiores motivos dados pelos donos para o abandono de seus animais é o fato que eles tiveram que mudar de suas casas e, em vários casos, foram para lugares que não acomodavam os seus pets.

Em outro artigo publicado pelo o jornal, o The Guardian diz que os números de animais abandonados aumentaram 57% entre 2008 e 2009.

Ao mesmo tempo, a quantidade de animais não castrados aumentou na região, por conta dos altos custos associados à castração. Isso, combinado com o número maior de abandono de animais, pode ter contribuído para o aumento de nascimento de animais.

Embora várias pessoas não quisessem abandonar os seus pets, sentiram-se sem opção por conta das suas condições financeiras. Notícias publicadas na mesma época pela NBC, rede americana de televisão, revelaram que nos Estados Unidos a quantidade de animais abandonados durante a crise foi muito alta. Porém, em vários casos, o animal sofreu uma consequência muito mais séria e prova disso é que a quantidade de animais eutanasiados nesse período também subiu significativamente, uma vez que os abrigos não tinham condições de manter os animais.

E, ao tentar resolver um problema financeiro, muitas vezes acabamos dando um tiro no pé, pois apesar de custarem os pets são grandes fontes de apoio, trazendo melhorias em bem estar e saúde para os seus donos. Assim é justo dizer que não é somente o pet que sai perdendo quando ele é abandonado, mas que o dono perde um amigo e uma fonte de alegria também.

Dicas para continuar tratando o seu pet bem, sem gastar mais

A economia de nosso país está sofrendo, mas isso não significa que o seu pet não será bem tratado. A ideia agora é mudar o seu comportamento para continuar oferecendo o melhor para o seu animal, mas sempre buscando uma forma de que isso não seja um problema para o seu bolso.

Com isso em mente, faça mudanças na sua rotina e comportamento agora para garantir que o seu animal continuará sempre perto de você. Abaixo colocamos três dicas que podem ajudar significativamente na hora de economizar durante a crise.

  1. Considere comprar ração em pacotes maiores, que tem um preço menor por quilo. Não esqueça que se você comprar maiores quantidade, você precisará de um local adequado para armazená-la.
  1. Fique sempre de olho em promoções. Sites como esse daqui têm promoções até para rações e brinquedos para pets, proporcionando uma economia de até 15% na compra de produtos.
  1. Castre os seus animais. A castração pode ajudar o seu pet a não produzir mais animais, além de resolver alguns problemas de comportamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *