MENU

Anterior

4 formas de cansar o cão sem sair do...

Próxima

Próxima

7 raças de cachorro com muita energia

Próxima

02/01/2014 Comentários (0) Visualizações: 54372 Bio Florais, Cachorros, Projetos Especiais, Quero um cachorro, Raças, Raças De Cachorros

11 raças de cães que não toleram ficar sozinhas

King Charles Spaniel

Como animais de matilha que vivem em grupos sociais, cães naturalmente não toleram passar muito tempo sozinho.  Desta forma, poucas são as raças de cachorros que ficam bem sozinhas.

Diversos donos sentem culpa de deixar o cachorro sem companhia em casa, principalmente em casos que o cão sofre com ansiedade de separação.  Porém, por conta da vida ocupada das famílias brasileiras, é comum que os cães passem algumas horas sozinhos por dia.

Vale notar que cães com mais energia para gastar, e que normalmente não andam praticando a quantidade adequada de exercícios físicos diários, podem sofrer com ansiedade de separação, agressividade e comportamentos destrutivos, de forma gastar a sua energia acumulada.

É necessário não somente caminhar com o cachorro diariamente para gastar sua energia, mas também adequadamente preparar o cachorro para os seus momentos sozinhos.  Além da quantidade de exercícios diários, outros fatores que afetam a habilidade do cão de ficar sozinho incluem temperamento, características da raça, treinamento e socialização quando filhote.

Algumas raças de cães são mais sensíveis que outras, e podem apresentar maus comportamentos e até mesmo resistência a ordens por não estarem perto do dono.

1. Chihuahua

O Chihuahua, embora seja pequeno de tamanho, age como um cão de guarda de seus donos. A raça é sensível, necessita atenção e afeto e é super apegado à sua família.  Isso o torna um excelente companheiro, porém um pet que não lida bem com ficar sozinho.

Essa raça, conhecida por acompanhar o dono e amar colo, hoje está em segundo lugar do ranking de animais mais abandonados de Nova Iorque.

Chihuahua filhote

Foto: Anthony Kelly via Flickr / CC BY 2.0

2. Pomeriano

O Pomeriano é uma raça de cachorro compacto, ativo, obediente e bastante apegado à família.

De um modo geral, o Pomeriano é bastante sociável a outras pessoas e animais, mas possui um nível energético alto que precisa ser trabalhado. Caso contrário, o pet pode se tornar um problema quando você não estiver em casa.

Foto: Mr. T in DC / flickr / CC BY-ND 2.0

3. Cavalier King Charles Spaniel

O Charles Spaniel é uma raça muito companheira e aprecia muito afagos, brincadeiras e atividades com os membros de sua família.  Apesar de dócil, os exemplares dessa raça variam muito de personalidade, sendo alguns bastante calmos e tranquilos e outros mais agitados.

Cavalier King Charles Spaniel

Foto: Ralph and Jenny via Flickr / CC BY 2.0

4. Poodle

O Poodle é uma raça de cachorro para quem busca um companheiro carinhoso e sociável. No entanto, assim como o Pomeriano, a raça possui um alto nível de energia que precisa ser gasto por meio de passeios, brincadeiras e outras atividades físicas. Por esse motivo, não é recomendável deixar o Poodle na ausência de seu dono.

5. Maltês

Por trás de todo glamour do Maltês está um cachorro dócil, destemido, carinhoso e muito brincalhão. O nível de energia da raça  não dispensa atividades físicas constantes, o que o torna um companheiro bastante ativo. A personalidade viva, gentil e superapegada torna o Maltês uma das raças pouco indicadas para tolerar solidão.

6. Pug

O Pug é uma raça que foi criada como cão de colo.  Dóceis, meigos, de fácil adestrabilidade, a raça adora se exibir, brincar e interagir com o seu dono. O Pug é, portanto, uma raça destina para donos que têm tempo para desfrutar de boa companhia.

Pug filhote

Foto: Zero Pennyworth via Flickr / CC BY 2.0

7. Yorkshire

Assim como o Pug, os Yorkies também são pequenos de tamanho, mas de enorme capacidade para amar e fazer companhia. Não é a toa que a raça é uma das populares no Brasil.

De temperamento dócil, inteligente e auto confiante, o Yorkshire pode não ser uma boa indicação para donos que não ficam muito tempo em casa.  Cães da raça Yorkshire exibem uma tendência grande a latir quando sozinhas e, por esse motivo, podem apresentar um problema para donos que vivem em apartamentos.

Yorkshire pêlo curto

Foto: Itarife via Flickr / CC BY 2.0

8. Bichon Frisé

O Bichon Frisé é mais um exemplo de cachorro que admira e muito ser companheiro de seu dono. De temperamento meigo e dócil, os cães desta raça gostam de ser o centro das atenções com os membros de sua família, além de ser muito amigável a outras pessoas e animais. Por conta disso, o Bichon não tolera passar horas sozinho.

9. Buldogue Francês

Apesar de ser originário da Inglaterra, o Buldogue Francês  se popularizou e adquiriu o apelido “Frenchie” na França. Ao longo de sua trajetória a raça foi criada como um cão de companhia. Inteligente, amoroso e dócil, o Buldogue Francês aprecia viver rodeado das pessoas dos membros de sua família. Buldogue Francês

Foto: Nicolas de Camaret via Flickr / CC BY 2.0

10. Border Collie

O Border Collie é considerado um dos cães mais inteligente do mundo e tal característica não é em vão. A raça possui altíssimo nível energético o que o torna uma boa indicação para pastoreiro, além de adestrabilidade e agility.

Justamente por possuir um temperamento bastante ativo, treinável e resistência a trabalho, não é recomendável que os exemplares desta raça fiquem sem os donos.   Vale ressaltar que o Border Collie é uma raça de trabalho e precisa de gastar a sua energia ao longo do dia.  Cães que ficam sozinhos em casa, sem ter feito exercício suficiente, podem pastorear os moradores da casa ou se ingressarem em comportamentos agressivos.

11. Pitbull Americano

O Pitbull Americano é um companheiro de sua família. São tão amorosos, dóceis, ágeis e obedientes, que os exemplares da raça são capazes de pedir colo aos donos.

Nas décadas de 40 e 50, os Pitbulls eram conhecidos por brincar e cuidar de crianças.  Eles também eram usados em campanhas durante as guerras mundiais, incentivando maior cadastros nos exercito americano.

Por sua personalidade bastante amigável, a raça não é recomendada para ser um cão de guarda e nem para ser criado com pouco vínculo afetivo.  A força da raça também exige que ele tenha um dono dedicado ao seu treinamento, exercício e bem estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *