MENU

Anterior

Um encontro perfeito inclui um cachorro

Próxima

Próxima

Caixa de areia: saiba onde seu gato não quer...

Próxima

10/07/2014 Comentários (0) Visualizações: 1423 Cachorros, Curiosidades, Curiosidades, Gatos, Notícias

Animais auxiliam a vida de crianças autistas

O convívio de crianças autistas com animais de estimação vem sendo observado há vários anos e, a medida que o tempo passa, um maior número de especialistas adota esta prática como parte da terapia destes indivíduos.

Nos últimos anos, a psicóloga Marguerite O’Haire, do Animals & Society Institute (Instituto Animais & Sociedade), nos Estados Unidos, dedicou o seu trabalho a revisar estudos que envolviam crianças autistas e animais. Na maioria deles, os que tiveram contato com os bichos se comunicavam mais e melhor, além de sorrirem com muito mais frequência.

Em alguns casos, medicamentos que causavam terríveis efeitos colaterais têm sido substituídos por vivências com bichos como cães, gatos e cavalos, alcançando respostas positivas na maioria dos casos. Alguns pesquisadores defendem que, apesar da maioria dos autistas evitar a interação com humanos, quando o contato é com animais, isso tende a ser diferente.

As habilidades sensoriais e motoras dos portadores de autismo também vêm sendo melhor exploradas com a pet terapia, mas a questão emocional é a que mais se destaca com o uso desta alternativa, uma vez que crianças autistas que têm contato com animais domésticos reduzem consideravelmente seus graus de estresse e agressividade.

Um caso real de sucesso – e amizade – entre um menino autista e seu cão da raça golden retriever foi retratado pelo filme “Um Amigo Inesperado” (After Thomas). No longa, os pais do garoto, que já estavam perdendo a esperança, decidem ouvir um dos terapeutas que aconselha a adoção de um cachorro. Apesar da convivência difícil no início, o quadro de Kyle evolui de maneira extraordinária, possibilitando até mesmo a sua entrada em uma universidade comum anos depois.

Foto: CDP-Images Workshop for Children w/ Autism por Paolo Manalac / CC BY-SA 2.0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *