MENU

Anterior

Shih Tzu

Próxima

Próxima

Pitbull Americano

Próxima

Rottweiler

Grupo da Raça (FCI): Pinscher e Schnauzer

País de Origem: Alemanha

Data de Origem: 1901

Altura: 55 - 69 cm

Porte: Gigante

Peso: 38 a 60 kg

Tamanho do Pelo: Curto

Tipo da Pelagem: Dura e Grossa

Expectativa de Vida: 8 a 11 anos

Cor: preto com marcações marrons avermelhado

Características da raça

Residência

Temperamento

Convivência

Cuidados básicos

Doenças comuns

Fotos de Rottweiler

Envie sua foto pra gente

Mais sobre Rottweiler

Conhecido como um exímio cão de guarda, o rottweiler já esteve ameaçado de extinção, após suas funções de cão pastor e acompanhante de açougueiros serem deixadas de lado. Forte, protetor e determinado, ele algumas vezes apresenta uma aparência intimidadora, mas se criado adequadamente, pode conviver com tranquilidade ao lado de crianças de diferentes faixas etárias e até mesmo com animais de outras espécies.

 

Quando adestrado, ele tende a obedecer seus donos de maneira exemplar, elegendo um deles como um modelo a seguir. Dócil, ele dificilmente promoverá ataques sem motivos, ao contrário do que muitos pensam.

Origem

Os rottweiler são oriundos da Alemanha, mais precisamente da cidade de Rottweil, que deu origem ao seu nome. Acredita-se que a raça tenha surgido a partir da cruza entre cães de grande porte como os mastiffs romanos e mastins tibetanos, ambos populares entre os soldados de Roma.

 

No Brasil, eles ganharam uma enorme popularidade na década de 90, exercendo principalmente a função de cão de guarda, mais tarde sendo adotados também como cães policiais e de resgate em vários Estados de nosso País.

 

Assim como acontece em outros locais do Mundo, por aqui a raça sofre com o preconceito por parte de indivíduos desinformados a respeito de sua índole e comportamento, havendo até mesmo restrições sobre o modo como este cão deve se apresentar em locais públicos.

Por que a raça foi criada?

Inicialmente, durante a Idade Média, era comum que os rottweilers acompanhassem açougueiros em suas expedições de compra e venda de gado, pastoreando e levando em um acessório preso ao seu corpo todo o dinheiro recebido. Era a forma encontrada pelos comerciantes de não serem roubados, uma vez que poucos seriam corajosos o suficiente para mexer na bolsa pendurada em seus pescoços.

 

Com as mudanças no modo de negociação entre este tipo de mercador, a raça passou a puxar carroças pequenas e médias e com o surgimento de ferrovias e estradas melhores estruturadas, quase entrou em extinção no século XIX. Nos séculos seguintes, porém, conseguiu dar uma enorme volta por cima, ocupando até os dias de hoje o posto de uma das raças mais populares da América.

Temperamento

Apresentando um biotipo extremamente forte e robusto, o rottweiler tende a ser bastante territorialista e leal àqueles que o cercam. Quando se sente ameaçado ou nota algum perigo dentro de sua casa, é comum que ele realize defesas sem medo, latindo e atacando quando julga necessário.

 

Facilmente adestrado, este cão possui energia de sobra, aguentando longas caminhadas e atividades diversas ao lado de seu donos. Amável apenas com os que conhece, ele costuma ser reservado e algumas vezes até mesmo hostil com estranhos. Destemido, ele não hesita em defender sua família, seja lá qual for a situação.

 

Rottweilers são inteligentes e adoram aprender coisas novas – o que faz com que seu adestramento seja prazeroso para todos os envolvidos na atividade, se destacando em tarefas que envolvam tanto a agilidade física quanto mental.

 

Apesar de ser um cão grande e às vezes de estilo rústico, ele responde melhor às técnicas que utilizam formas gentis e recompensadoras, não aceitando bem os comandos agressivos e/ ou que usam de força bruta.

 

Algumas vezes taxado como violento, ele na verdade preza mais pela lealdade do que a maioria dos animais e quando criado de forma irresponsável, em meio à negligência e sofrendo abusos, realmente pode oferecer riscos, afinal, é um cão musculoso e de mordedura poderosa, que não costuma aceitar maus tratos.

Comportamentos típicos

Rottweilers apresentam um forte instinto protetor, mostrando-se sempre muito fiéis aos seus donos e ao seu território. Apesar de serem amplamente usados como cão de guarda, eles costumam ter um temperamento tranquilo, mas sempre alerta ao que acontece ao seu redor.

 

Forte, inteligente e leal, o rottweiler é também muito utilizado como cão policial em várias cidades do mundo, trabalhando inclusive em operações de resgates com vítimas de sequestro, por exemplo.

 

Ao optar por ter um rottweiler em casa, é bom conhecer seus pais com antecedência e tentar perceber como é o temperamento deles. Em muitos casos de agressividade excessiva por parte do cão, além da falta de adestramento, são fatores genéticos que o fazem agir desta maneira, destoando do comportamento típico da raça.

 

Se não socializado e acostumado desde filhote com outros animais e humanos de diferentes idades, isso pode ser um problema, pois com o passar do tempo fica mais difícil fazer com que um cão tão decidido mude de comportamento e hábitos repentinamente.

 

Em resumo, falsidade é uma característica que passa longe dos rottweilers, que são auto-confiantes e acreditam em seus instintos para detectar o que pode ou não ser arriscado para ele, seus donos ou seu ambiente. É raro vermos um rottweiler “fazendo festa” ou abanando o rabo para alguém que ele não conhece. Desconfiado, ele comumente fica à espreita a fim de tentar perceber se o indivíduo merece seu voto de confiança.

Treinamento e adestramento

Ocupando o 9o lugar na lista de inteligência do livro “A Inteligência dos Cães”, escrito por Stanley Coren, o rottweiler chama a atenção por ser altamente adestrável e se adaptar facilmente aos truques e comandos propostos. De modo geral, cachorros que estão numa posição como esta, chamam a atenção não apenas pela inteligência em si, mas também por serem ideais para a realização de trabalhos diversos, incluindo os de tração e força.

 

Comandos simples são assimilados e efetuados em pouquíssimo tempo, não sendo necessário repertí-los com muita frequência para que o cão se lembre como deve realizá-los. Atentos e ótimos alunos, eles têm pressa em aprender e logo mostrarem o que sabem fazer.

Cuidados específicos

Bastante musculoso, ele requer atividades físicas diárias, bem como um adestramento adequado e regular. Basicamente, rottweilers são mais sérios com estranhos e por esse motivo é aconselhado que eles sejam treinados e socializados desde pequenos.

 

Por ter pelos curtos e bem rentes à pele, ele não requer muitos cuidados com a pelagem. Uma escovação semanal e banhos mensais são mais do que suficientes para mantê-la brilhante e livre de pelos mortos.

 

Pessoas de personalidade forte, assim como essa raça, são os donos ideais para este cão que muitas vezes necessita de comandos firmes, disciplina e alguém para seguir/ obedecer. Os machos têm uma tendência ainda mais forte de dominância sobre pessoas e outros animais, o que deve ser orientado e corrigido logo no início de sua vida.

 

Da mesma maneira que aconteceria numa matilha, a raça normalmente elege um “cão alfa” dentro de sua família e uma vez que ele não identifica um ser humano como “comandante”, toma para si a responsabilidade de cuidar de tudo e todos – o que requer certa cautela.

 

Não é muito aconselhável ter um cão deste porte em apartamentos ou casas sem quintal. Ele precisa de espaço para se exercitar diariamente por, aproximadamente, duas horas ou mais (pelo menos quando em idade jovem). Animais confinados, isolados e que não têm contato com o “mundo externo” comumente acabam virando uma ameaça por terem muita energia acumulada e, por consequência, acabam desenvolvendo um temperamento antissocial.

 

Displasia coxofemoral é um dos principais problemas de saúde que pode acometer um cão da raça rottweiler. Grandes e pesados, eles costumam ter muita dor quando são portadores desta enfermidade e, por isso, é bastante importante checar se os pais do filhote possuem exames negativos para essa doença, bem como para a displasia de cotovelo.

Curiosidades

De acordo com o padrão da raça, além do preto predominante, rottweilers devem possuir apenas manchas simétricas de cor castanho-amarelada (parecido com a cor de canela) em sua cabeça, peito, patas e abaixo do rabo. Qualquer outro tipo de marca ou cor em sua pelagem não é aceita pelos cinófilos, fazendo com que o cão esteja fora do ideal ou seja visto como mestiço.

 

Há quem diga que o instinto pastor do rottweiler é tão forte que os cães levados para fazendas normalmente não precisam ser treinados para pastorear, exercendo esta função naturalmente, sem nenhum tipo de ordem, e sem atacar os animais. Imponente, em alguns casos apenas seu tamanho e gestos já fazem com que os bichos se mantenham unidos.

 

Maiores, os rottweilers machos podem atingir cerca de 50Kg, sendo necessário o controle de peso destes animais a fim de não sobrecarregar suas articulações e coluna. Uma fêmea grande, por sua vez, pode atingir os 40Kg.

 

Em alguns locais do Brasil, por Lei, donos de rottweilers só devem sair com seus animais de casa utilizando uma guia curta, enforcador e focinheira. O descumprimento desta regra é passível de multa e sua reincidência dobra o valor desta.

 

Outra Lei que envolve cães da raça é a que proíbe o corte de seu rabo por questões estéticas. Aprovada no ano de 2008, a Lei contra a caudectomia (nome dado à cirurgia que retira a cauda de animais) teve o apoio do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e de muitos protetores de animais, que acreditam que a prática é uma forma de mutilação.


Adorados pela maioria de seus donos e criadores, em todo o mundo muitos os chamam carinhosamente apenas pelo apelido de “rott” ou “rottie”.

Foto principal: https://www.flickr.com/photos/azuaje/5830118982

Navege por outras raças de cachorros

Bom para apartamento

68% concordam x 32% discordam

Eu...