MENU

Anterior

Chihuahua

Próxima

Próxima

Dachshund

Próxima

Spitz Alemão Anão

Grupo da Raça (FCI): Spitz e Cães do Tipo Primitivo

País de Origem: Alemanha

Data de Origem: 1760

Altura: 17 - 31 cm

Porte: Miniatura

Peso: 1,5 - 3,5 kg

Tamanho do Pelo: Longo

Tipo da Pelagem: Macia, Lisa e Grossa

Expectativa de Vida: 12 a 16 anos

Cor: Preto, marrom, branco, avermelhado, cinza, dentre outras

Características da raça

Residência

Temperamento

Convivência

Cuidados básicos

Doenças comuns

Fotos de Spitz Alemão Anão

Envie sua foto pra gente

Mais sobre Spitz Alemão Anão

O spitz alemão anão, também chamado lulu da pomerânia em nosso país, é um cão que descende diretamente da família dos spitz, cachorros compactos, fortes e sólidos amplamente difundidos na Alemanha como cães de companhia, de trabalho em fazendas e como puxadores de trenós.

 

Dono de um pelo denso, lanoso e muito chamativo, sua cauda é ereta e inclinada para frente, com grande parte de seu pelo caindo sobre seu dorso. Provavelmente devido às tantas experiências genéticas que visavam um pelo perfeito, sua pelagem é uma das que mais demora para chegar à maturidade: é aproximadamente aos três anos de idade que o cão passa a apresentar sua aparência de adulto, lembrando muitas vezes um urso de pelúcia.

Origem

A maioria dos cinófilos defende que o lulu da pomerânia teve sua origem e desenvolvimento na Alemanha, provavelmente como resultado da cruza entre os diferentes cães spitz já existentes na região norte, no século XIX. Dentre seus principais (e talvez únicos) ancestrais estão cachorros como o spitz alemão gigante, o spitz alemão médio e o spitz alemão padrão.

 

Menor do que os anteriormente citados, o lulu foi o que melhor se adaptou à vida dentro de casa, acompanhando a rotina das famílias e desempenhando um excelente trabalho como cachorro de colo e companhia principalmente por ser tranquilo e afetuoso, mas às vezes com personalidade forte e decidida, parecida com a de um cão de guarda.

Por que a raça foi criada?

Acredita-se que a versão anã do spitz alemão foi criada quase que por acaso, uma vez que já existiam outras três variedades da raça. A enorme popularidade do spitz em todo o mundo é creditada à Rainha Vitória da Inglaterra, que levou alguns exemplares da Itália para seu palácio, os elegendo como seus preferidos.

 

Os animais Reais, porém, ainda eram maiores que os cães que estavam surgindo e tinham um tom de pelo mais escuro e acinzentado, mas os criadores se esforçavam arduamente para conseguir uma série de mudanças, o que fez com que a maioria dos exemplares pequenos passassem a ser brancos (algo modificado com o tempo).

 

Ao longo dos anos, criadores passaram a selecionar os menores e mais coloridos animais, os procriando e obtendo as versões que hoje conhecemos. A exuberância na pelagem também era um dos fatores mais importantes na escolha dos padreadores – já que este tipo de cão deveria ser bastante peludo e chamativo.

Temperamento

Lulus da pomerânia estão sempre muito alertas e atentos ao que acontece no ambiente em que estão, apresentando um comportamento similar ao comum aos cães de guarda. Seu tamanho e capacidade de força, porém, não são muito intimidadores, o que lhe dá certas desvantagens nesta “profissão”.

 

Muito apegado e fiel ao dono, ele costuma estar sempre por perto dos seus membros preferidos da família. Basicamente, ele adora companhia e quer contato com seres humanos a todo tempo, mas seu temperamento tranquilo não o torna um cão “pidão”, que fica solicitando atenção frequentemente. Para ele, estar por perto já basta, o que o faz ser um dos melhores companheiros na hora de assistir televisão ou trabalhar em frente ao computador.

 

Bem humorado, ele comumente é muito extrovertido com aqueles que conhece, fazendo brincadeiras, pulando e correndo. Com desconhecidos, a história muda. Não é comum encontrar um spitz que “faz festa” a toa e para quem não é de seu convívio habitual.

 

Assim como seus ancestrais que foram desenvolvidos apenas para puxar trenós, este pequeno spitz alemão não possui qualquer traço de instinto caçador, podendo se dar bem com outros animais e crianças, desde que socializado com eles quando filhote.

Comportamentos Típicos

Apesar de ser um cão de pequeno porte, o spitz alemão é bastante valente e não hesita em defender seus donos e seu território sempre que achar necessário. Audacioso, ele não tem medo de nada e costuma latir sempre que encontra algo errado ou diferente no ambiente.

 

O lulu da pomerânia tende a ser bastante reservado com estranhos, não dando confiança para qualquer um que chegue à sua casa, por exemplo. Este tipo de comportamento deve ser supervisionado, uma vez que caso se sinta ameaçado ou ache que seus donos correm perigo, ele pode avançar.

 

É bom ressaltar que, apesar de receosa, a raça possui uma certa facilidade para entender quem realmente quer o bem de sua família e quem não quer, então pode ser comum que os animais, após “inspecionarem” as visitas, reajam de maneiras diferentes a elas.

 

Especialistas creditam a este tipo de spitz o maior grau de inteligência, afirmando que o anão é o mais fácil de adestrar e aprender truques diversos em um período curto de tempo. Brincalhão, ele encara o aprendizado como uma hora de lazer e recreação, fazendo com que a atividade seja ainda mais tranquila e prazerosa para todos.

 

Alguns cães da raça podem ter o hábito de latir frequentemente, o que pode ser um problema principalmente para quem vive em apartamento. Caso este comportamento seja realmente indesejado, o ideal é repreendê-lo sempre que aconteça e desde a idade jovem.

Treinamento e adestramento

O lulu da pomerânia aparece na 23a posição no ranking sobre inteligência canina apresentado no livro “A Inteligência dos Cães”, de Stanley Coren, destacando-se como um ótimo cachorro destinado para trabalhos específicos (como os outros spitz) e respondendo rapidamente aos comandos ensinados.

 

Com o tempo e a prática, a tendência é que melhorem mais ainda, muitas vezes chegando à perfeição na execução de truques e se mostrando bastante obediente. Com um contato mais próximo entre cão e homem e fazendo a utilização de recompensas, o spitz se mostra um cachorro extremamente receptivo, satisfazendo seus donos e adestradores logo nas primeiras aulas.

Cuidados Especiais

O spitz alemão anão pode ser um cão com um instinto protetor bastante forte, o que não raramente pede um adestramento especializado. De modo geral, eles necessitam de limites e devem ser ensinados desde filhotes sobre como se portarem no convívio com outras pessoas e outros animais.

 

Apesar de pequeno, o lulu da pomerânia é um cão ativo, com energia de sobra, que está sempre pronto para brincar. Ágil, ele costuma gostar de brincadeiras dentro e fora de casa, mas se satisfaz com uma pequena caminhada diária.

 

A escovação deve ocorrer com um intervalo de dois dias, em média. O proprietário também deve levar em conta que alguns exemplares da raça, por terem um pelo muito comprido quando adultos, acabam sofrendo com os nós, algumas vezes precisando de serviços de tosa. Seus banhos não precisam ser realizados com tanta frequência – já que o spitz não costuma ter mau cheiro -, mas vale lembrar que a correta secagem do animal é fundamental para a saúde de sua pele (que naturalmente é pouco oleosa e pode, com tranquilidade ficar por até três meses sem ser banhada).

 

O spitz alemão anão não deve viver fora de casa. Mesmo com sua boa tolerância ao frio, resultado de seu pelo volumoso e de camada dupla (composta por pelo e subpelo), ele foi especialmente desenvolvido e adaptado para ter contato direto com a família e conviver com ela a todo tempo. Sensíveis, eles podem sofrer com a falta de carinho ou atenção, não devendo ficar longos períodos sozinho e muito menos confinado.

 

Assim como outras raças pequenas como o poodle e o maltês, o sptiz tem uma grande tendência a possuir problemas articulares e no joelho, como a luxação de patela. Para evitar surpresas e aborrecimentos no futuro, peça que um médico veterinário avalie o animal escolhido antes da compra e sempre busque informações sobre os pais do cachorro e seus possíveis distúrbios genéticos (tanto físicos quanto comportamentais).

 

Não é frequente que cachorros desta raça tenham muitos problemas de saúde. Resistentes, eles normalmente apresentam apenas ocorrências corriqueiras como dermatites e otites.

Curiosidades

O cachorro mais famoso – e considerado o mais fofo – das redes sociais é um spitz alemão anão. Boo, como é chamado o exemplar da raça, é tosado especialmente para ficar ainda mais irresistível e com uma aparência única de urso. No Facebook, por exemplo, Boo aparece fantasiado, passeando, usando roupinhas diferentes, brincando com seus amigos ou até mesmo viajando por vários locais. Boo, que vive nos Estados Unidos, tem personalidade própria (criada e personificada por sua dona), dá entrevistas, participa de eventos diversos e tem até um livro escrito em primeira pessoa para narrar suas aventuras e peripécias. Um verdadeiro sucesso!

 

Sucesso também fez o personagem “Baby”, cachorro da raça que aparece no filme “As Branquelas” (White Chicks). No longa, o animal representa um típico cachorro de madame, cuidado por uma das patricinhas do filme e levado com ela a quase todos os lugares que vai dentro de uma bolsa própria para animais ou em seu colo.

 

Inicialmente branco, hoje o spitz alemão anão possui uma maior variedade de cores que podem ser sólidas ou mescladas. Dentre os mais vistas, estão os tons dourados, branco, preto, cinza e marrom (espécie de chocolate), sendo as variações de dourado as mais populares no Brasil.

Foto: Patrizio Cuscito via Flickr/ CC BY 2.0; Hammering Man via Flickr/ CC BY 2.0

Navege por outras raças de cachorros

Bom para apartamento

68% concordam x 32% discordam

Eu...